Sobre odiar os homens

Eu recebi hoje algumas mensagens de homens me dizendo que eu odiava homens. Olha só, eu sou feminista. FEMINISTA. Não tá óbvio? Vou explicar: eu adoro homens e odeio o patriarcado. Saca a diferença? E luto contra o machismo, o patriarcado, a misoginia, o padrão de beleza que nos picota (incluindo racismo, transfobia, homofobia…). Eu luto contra a cultura que dá direitos desiguais, poderes sociais relativos, que culpa a vítima pelo estupro, que relativiza agressores. Luto a favor de direitos reprodutivos e de escolha. Eu odeio ser oprimida, odeio ver minha mãe, minha irmã, minhas amigas serem oprimidas, odeio ver mulheres cis e trans que eu nem mesmo conheço sendo oprimidas. Não odeio os homens. As feministas que eu conheço também não odeiam os homens. Nós odiamos o que eles fazem quando perpetuam o discurso machista diariamente. Odiamos quando olham apenas para o próprio umbigo privilegiado e não se permitem aprender sobre a causa feminista. Odiamos ações misóginas tidas como ‘só uma piada’.

Eu namoro um homem. Eu gosto de homens. Eu tenho amigos homens. Por que eu odiaria os homens? Eu odeio não ser reconhecida socialmente como merecedora de direitos óbvios como os homens são. Eu odeio que meu corpo esteja à mercê da sexualização decidida pelo padrão de beleza e não pelo meu conforto comigo mesma. Eu odeio ter que precisar escrever mais um texto explicando que feminista não quer acabar com os homens, mas eu escrevo. Escrevo porque já temos uma sociedade inteira como inimiga declarada e trabalhar o feminismo é também divulgá-lo. Se alguém que odeia feministas perceber que nos odeia por coisas que não somos e não fazemos, perceberá que também pode ser feminista. Algumas pessoas são feministas e nem sabem.

”mas aquela feminista escreveu que odiava homens.”

Não tome a palavra de uma ou outra pessoa como o lema de todo um movimento. A gente não tem o direito de dizer o quão feminista alguém é ou deveria ser, mas podemos afirmar com toda certeza que odiar homens não é a intenção do feminismo. Nossa intenção é que mulheres sejam consideradas humanas e logo, com direitos adequados à nossa realidade social.

”mas vocês não deixam que homens opinem no feminismo.”

Assim como brancos não opinam no movimento negro e héteros não opinam no movimento LGBTT. Eu reconheço que existam homens feministas, e que nos apoiam. Mas existe diferença entre apoiar um movimento e protagonizar. O protagonismo do feminismo É e DEVE continuar sendo das mulheres (cis e trans). Os homens podem nos apoiar e acho importante que divulguem o feminismo pra amigos, familiares… Mas opinar sobre como devemos militar ou sobre onde devemos ver machismo, não. Isso é com a gente. Isso é com as moças. Isso não quer dizer que a gente odeie homens.

Enfim, posso dizer muito lúcida que: não odeio homens. Eu odeio o patriarcado. Se você apoia o patriarcado, não vou te odiar. Vou odiar (e combater com toda minha força) sua ideia machista, seu sistema machista e seu discurso machista.

Anúncios

Um comentário sobre “Sobre odiar os homens

  1. Texto sucinto, didático e esclarecedor. Foi-me muito útil quando eu publiquei um texto no Facebook a respeito de uma atitude que eu julguei machista e vieram uns “omicis” querendo me silenciar, dizendo que aquilo não era machismo. Obrigada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s